quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Lo que me hace falta.


A busca incessante por alguma coisa que eu não sei é o que me deixa louca.

Sinto falta.
Falta em mim.
Algo falta, faz-me falta.

Num espaço reservado,

longe de mim,

existem coisas,
sensações,
desejos tão íntimos que, até de mim, minha alma esconde. Eu não nasci para isso, eu não nasci para amar. Talvez eu fosse o anjo torto, aquele que indagou Drummond, mal sabia eu que ali, naquele homem gauche mais sentimento tinha do que um dia eu possa ter.
Drummond cheirava a sentimento, martírio. Cada pessoa cheira a algo... umas a dinheiro, outras a problemas, outras a sexo. Eu cheiro a pó, a estagnação. Eu sou o avesso, estou às avessas. De que?
Se ao menos eu soubesse o que me falta... mas eu sei quanto doi o vazio.
É que para sentir falta, a gente precisa ter tido.

2 comentários:

  1. Dexter ficaria com ciúmes de não poder narrar tão bem como tu escrevesse! x)

    ResponderExcluir